Antes de eu morrer

Você está lá na sala de fisioterapia e ouve a seguinte pérola do vizinho da maca ao lado: “Eu só peço a Deus uma coisa: que antes de eu morrer eu veja um espírito e um ET!”.

Você está lá na sala de fisioterapia, aquela mistura de massagem e relaxamento (só que não… porque está ferrado e com dor) e ouve a seguinte pérola do vizinho da maca ao lado: “Eu só peço a Deus uma coisa: que antes de eu morrer eu veja um espírito e um ET!”.

Na semana passada houve um zum zum zum porque a NASA anunciou a descoberta de 7 planetas parecidos com a Terra, todos com potencial de ter vida. Que ingenuidade (ou mesmo arrogância) acharmos que somos os únicos no Universo. É como se formiguinhas num formigueiro da Floresta Amazônica passassem o dia debatendo se são as únicas espécies de toda floresta ou não.ant-holding-world-224x300

Não, amigas formigas, segundo especialistas, existem aproximadamente 2 milhões de diferentes espécies na fauna desta floresta, incluindo mais de 1.300 espécies de pássaros e 300 mamíferos. Isso só na Amazônia. E também não, meus irmãos terráqueos. Temos 8 planetas no Sistema Solar e estima-se que a nossa galáxia, a Via Láctea, tenha de 100 a 400 bilhões de estrelas. E astrônomos, hoje em dia, com a ajuda do telescópio espacial Hubble, estimam a bagatela de 2 trilhões de galáxias no Universo.

Supondo então que cada uma dessas galáxias tenha pelo menos 100 bilhões de sistemas solares e que cada um deles tenha, pelo menos 1 planeta… É uma questão matemática. Fazendo a conta no guardanapo do bar, depois de 2 cervejas:

1 planeta x 100 bilhões de estrelas x 2 trilhões de galáxias = sério que você ainda acha que somos os únicos, os mais espertos, os mais adiantados, os “picas das galáxias”?

Mar Celeste.jpg

E quanto aos espíritos, acredito que existam aquelas pessoas que já nascem com a capacidade de vê-los, como o garotinho do “Sexto Sentido”, mas se não nasceram numa família de médiuns, isso pode tocar o terror nas criancinhas. Outras pessoas não conseguem ver nada além do mundo da matéria, mas, à medida que desenvolvem sua espiritualidade, aos poucos começam a sentir essa outra dimensão, e, com muito mérito, podem até ter o véu de Maia (ilusão) retirado, para ter acesso a esse outro mundo.

Parte da literatura esotérica, como o livro “Budismo Esotérico” explora a possibilidade de planetas materiais e planetas etéreos. Já imaginou que quando um ET morre ele também vira espírito?

Então, caro vizinho de maca, tomara que Deus realize seu pedido, mas tomara também que isso não seja a sua causa mortis: susto. Você finalmente vê um espírito e um ET, mas como não está preparado para isso, toma um susto e morre do coração.around-her-chagall

Um coisa é certa: um indivíduo que faz esse tipo de comentário certamente está preparado. Acho mais que sua causa mortis seria felicidade, gratidão e deslumbramento. Felicidade de finalmente ver que não estamos sozinhos, de ver que a vida continua, mesmo em outros planos. Gratidão por termos espíritos nos protegendo e querendo nosso bem.  E deslumbramento por descobrir que, de repente, como no filme “A chegada”, tem ET ajudando a Terra a passar por esse período tão instável.

Quem bom!

Tarot X Crisis

Is the country’s economic situation necessarily yours? One client consulted the tarot to see what the trends were for her following six months.

Carnival is over and you’re back to reality. The “day after syndrome”… But is the country’s economic situation necessarily yours?*

One client, Gloria **, very concerned about returning to the job market, consulted the tarot to see what the trends were for her following six months. Clever and determined, she had worked at several corporations for many years – a stellar career. She had succeeded to the point where work pressure began to undermine her personal life. She was trying to get pregnant for the last five years with no results. 4_of_pentacles

She then decided to do what many would consider a great risk: quit the company where she has been working and take a sabbatical year to focus on her own health and quality of life. Maybe then she would finally get pregnant. And she did get pregnant, had a beautiful baby, and still enjoyed a few months of unpaid “maternity leave”.

Gloria began to think about how she would transition back into her executive life. She decided to do some consulting because she could work from home, get a few projects and network with companies to finally get a good job. Another year has gone by. Consulting only brought her promises of large projects. No real money so far. She kept saying, “I’m investing,” but she was already very stressed out about her financial situation.

The tarot was spread. What a surprise! A sudden career change would bring in more money. The 6th Astrological House that refers to job and service showed that she would work with something familiar. Her 5th House of pleasure showed almost nothing, as if she had no time for it, because she would be working really hard. The entire spread was all about money, stability and work.

Gloria would get a great job, in a large corporation, that would pay her well. I said: “Get rid of this consulting gig right away because it’s not taking you anywhere. It’s just wasting your time. If you sit your ass all day long in front of your computer and network through LinkedIn or anything else, you’ll get a good job fast. And the interviewing process will be quick too. But as soon as you get home, you have to go straight to making contacts, all day long until that job comes to fruition.”ace_of_pentacles6

She then asked: “How can this be with such an economic crisis? I’ve already interviewed with other companies and no one is hiring.” “It can happen because this window is open for YOU, and it has nothing to do with the job market. This is a phase in YOUR life when you can get back to working and making money.” In two months she started talking to a multinational, which took a little more than a month to hire her. Exactly as the tarot predicted: a good job, doing something that she already had experience with.

What about YOU? Are you worried with the job market? Are you sure this is YOUR crisis? Who knows, maybe this is also YOUR moment. Who knows, maybe God has saved a great opportunity just for YOU. So stop comparing yourself to others, mind YOUR own business, YOUR own destiny and go get it.! “Action = Solution”. If you are on the right track and if it is YOUR time, doors will open, whether global economy is good or bad. Because every crisis also brings opportunities. And what is YOURS nobody can take away from you.

* The article was written reflecting Brazil’s current economic crisis.

** Fictitious name to preserve the client’s identity.

Tarô X Crise

Folia acabando e você voltando para a realidade. Rebordosa total… Mas será que a situação econômica do país é necessariamente a sua?

Folia acabando e você voltando para a realidade. Rebordosa total… Mas será que a situação econômica do país é necessariamente a sua?

Uma cliente, Glória*, muito preocupada em se relocar no mercado de trabalho, procurou o tarô para ver quais eram as tendências para seus próximos seis meses. Inteligente e determinada, ela tinha trabalhado por muitos anos em várias multinacionais. Sua carreira era exemplar. Tinha obtido sucesso até o ponto em que a pressão do trabalho começou a prejudicar sua vida pessoal. Estava tentando engravidar há cinco anos e nada.4_of_pentacles

Decidiu o que muitos consideram um grande risco: sair da empresa onde trabalhava e tirar um ano sabático para focar na própria saúde e qualidade de vida. Talvez assim, finalmente engravidasse. Engravidou, teve um lindo bebê, e ainda ficou uns meses de “licença-maternidade” não paga.

Começou a pensar em como faria a transição de volta à vida de executiva. Consultoria foi o que decidiu fazer, porque poderia trabalhar de casa, pegar alguns projetos e fazer contatos com as empresas, para no final conseguir um bom emprego. E mais um ano se passou. A consultoria só trazia promessas de grandes projetos. Nada no bolso. E ela dizia: “Eu estou investindo”, mas já estava bem estressada com a situação.

Aí o jogo de tarô foi aberto. Uma surpresa! A carreira teria uma mudança rápida para trazer mais dinheiro. A casa astrológica número seis do dia a dia do trabalho (no jogo de Mandala) mostrava que ela trabalharia com algo que conhecia. A casa da diversão mostrando quase nada, como quem está numa fase de muito trabalho. O jogo todo em função de dinheiro, estabilidade e trabalho.

Ela arrumaria um ótimo emprego, numa grande empresa, que pagaria bem. Eu disse, “Manda essa consultoria pras cucuias porque não tá te levando à nada, é só embromação. Gruda no computador, faz contatos pelo LinkedIn ou qualquer outra coisa, que esse emprego sai em pouco tempo. E quando começarem a te entrevistar, o processo é rápido. Mas você tem que sair daqui e ir direto fazendo contatos, o dia inteiro até que isso se concretize”.
ace_of_pentacles6Ela perguntou: “Mas com essa crise, como é que pode? Eu já entrevistei com outras empresas e ninguém tá contratando.” “Pode porque essa janela está aberta pra VOCÊ, e não tem nada a ver com o mercado. Essa é uma fase na SUA vida para você conseguir voltar a trabalhar e ganhar dinheiro”. E em dois meses ela começou a falar com uma multinacional, que levou pouco mais de um mês para contratá-la. Exatamente como o tarô disse, num bom emprego, fazendo o que ela tirava de letra.

E você? Preocupado com o mercado? Tem certeza que essa crise é SUA? Quem sabe esse também é o SEU momento? Quem sabe Deus tem guardado uma boa oportunidade para VOCÊ? Então pára de se comparar com os outros, foca no SEU umbigo, no SEU destino e corre atrás do que quer. Ação como solução. Se estiver no caminho certo e se for a SUA hora, as oportunidades se abrirão, estando a economia boa ou ruim. Porque em toda crise há oportunidades. E o que é SEU está guardado.

* Nome fictício para preservar a identidade da cliente.

BFF tarot

At the end of a consultation, a client wanted to know if she would speak again to her friend, because they had had a fight.

At the end of a consultation, Thelma*, a client, wanted to know if she would speak again to her friend Vivian*, because they had had a fight. The two were neighbors and went everywhere together, like “super twins activate!” **. One had even helped the other to find an apartment in the same building.

After a while, Vivian’s former colleague, Naira, decided to move back to Rio. The most practical solution found was to become roomates, so while one would make a little money, the other would have a place to stay. The duo became a trio. Thelma, Vivian and Naira turned inseparable… But NOT so much …

Deep down, Thelma resented a little that the other two stayed together most of the time. But, of course, since sharing an apartment, they became almost like sisters. But she also had her own life, and one fine evening, she decided to host a dinner party for her work friends.

Beer goes, beer comes, and the laughter grew louder, to the point that the neighbors Vivian and Naira noticed that there was some activity going on in Thelma’s apt. They called her, but she did not answer, busy with her friends. They tried again. No answer. The “sisters” were intrigued: how could it be? So much noise, and Thelma was not be there? Had someone broken into her friend’s apartment ?? Was their friend in trouble? They decided to move fast.

They rang the bell, and to Thelma’s surprise, the neighbors were carrying two huge knives, ready to protect her friend from any harm. It was a very weird situation, almost like “Here is Johnny!”. Thelma’s co-workers found it surreal. The neighbors were embarrassed and felt a bit awkward that they had not been invited to the party. And Telma was fuming, finding her friends’ attitude ridiculous, blaming them for being jealous because they were left out of the party. In sum: they stopped talking to each other. A total inconvenience at the lobby, the elevator, and the near market when they crossed a path.

And back to our question, the tarot showed the story right … but the side of Vivian, who had actually thought that someone strange had come into Thelma’s apartment and went there, with all the courage, to rescue the other. Worse, she felt that her effort was in vain. She was very upset, thinking that Thelma ignored her, therefore no longer deserved her friendship. Telma had to understand that Vivian had really tried to help her.

“What is this face?” I said, “Didn’t I tell you that you guys will be friends again? You’ll be happy with that.” Thelma looked at the tarot cards with a long face, worried that she had to be the one to take the first step to make up with her friends.3-of-cups

Every story has two sides, but when you ask for a tarot advice, you have to know that the truth will not necessarily be yours. Worst of all, the oracle could ask you to do something that you’re not ready, like calling someone to sing “I just called … to say … I’m sorry!” In the end, it’s a win-win. The humility of apologizing is worth it. A good friendship can last forever, but we have to deal with the ups and downs.

And what happened to these creatures, you ask me? Of coooourse they are super happy, probably bar hopping together and enjoying an intense agenda during this Carnival!

* Names were changed to preserve the identity of those involved.

** For you, who did not understand, “super twins activate!” refers back to the Super Twins, a couple of alien twin siblings (from the cartoon “Superfriends“) who could turn their powers “on” or “off” when they join hands.

Tarô muy amigo

No final de uma consulta, uma cliente queria saber se voltaria a falar com a amiga, porque tinham brigado.

No final de uma consulta, uma cliente, Telma*, queria saber se voltaria a falar com a amiga Vivian*, porque tinham brigado. As duas eram vizinhas, iam pra lá e pra cá juntas, do tipo “supergêmeas ativar!”**. Uma até tinha ajudado a outra a achar um apartamento no mesmo prédio.

Depois de um tempo, uma antiga colega de trabalho de Vivian decidiu voltar a morar no Rio. A solução mais prática que acharam foi que Naíra* alugaria um quarto de seu apê, assim enquanto ela ganhava um dinheirinho, a outsider teria um canto na Cidade Maravilhosa. A dupla virou trio. Telma, Vivian e Naíra ficaram inseparáveis, pero no mucho

Telma, no fundo, ressentia um pouco que as outras duas ficavam juntas mais tempo. Mas é claro, rachando um apartamento, a convivência é quase de irmãs. Mas ela também tinha sua própria vida, e numa bela noite, marcou uma reunião com amigos do trabalho.

Cerveja vai, cerveja vem, e o barulho das risadas ficou mais alto, ao ponto das vizinhas Vivian e Naíra notarem que havia movimento no apê de Telma. Ligaram para ela, que, ocupada com os amigos, não atendeu. Tentaram mais uma vez, e nada. As hermanas ficaram intrigadas: como podia, tanto auê, e Telma não estar lá? Será que alguém tinha entrado no apartamento da amiga?? Será que amiga estava em apuros? E decidiram agir rápido.

Tocaram a campainha, e para a surpresa de Telma, as vizinhas estavam com dois facões na mão, prontas para proteger a amiga de todo mal. Foi uma situação bem esquisita. Os colegas de trabalho de Telma acharam aquilo surreal. As vizinhas ficaram sem graça e um pouco constrangidas de não terem sido convidadas para a festa. E Telma ficou bem brava, achando ridícula a atitude das amigas, culpando-as de um certo ciúmes por terem sido deixadas de fora do agito. Resultado: pararam de se falar. Um constrangimento total na portaria, no elevador e no mercado da esquina quando se encontravam.

E voltando para nossa pergunta, o tarô mostrou a estória direitinho… só que o lado de Vivian, que tinha realmente achado que alguém estranho entrara no apartamento de Telma e foi lá, com toda coragem, ajudar a amiga. Pior, sentiu que seu esforço não valera a pena, e ficou revoltada, achando que Telma fora totalmente blazé, e não merecia mais sua amizade. Telma tinha que entender que Vivian realmente tentara ajudá-la.

“Que cara é essa?” eu disse, “não falei que vocês vão voltar a ser amigas? Você vai ficar feliz da vida.” Telma olhava as cartas do tarô com uma tromba, preocupada que seria ela quem teria que dar o primeiro passo e voltar a falar com as amigas.

3-of-cupsToda estória tem dois lados, mas quando você pede um conselho do tarô, tem que saber que não necessariamente a verdade será a sua. E o pior, pode ser que o oráculo mande você fazer algo que não esteja preparada, como ligar para o outro e cantar “I just called… to say… I’m sorry!” Mas no final, os dois times vencem. A humildade de pedir desculpas vale a pena. Uma boa amizade pode durar por uma eternidade, mas temos que saber lidar com os períodos de altos e baixos.

E o que aconteceu com essas figuras, vocês me perguntam? Claaaro que estão felizes da vida saindo juntas, e com certeza já têm uma programação intensa para esse Carnaval!

* Os nomes foram trocados para preservar a identidade das envolvidas.

** Pra você, que não entendeu, “supergêmeos ativar!” se refere aos Supergêmeos, um casal de irmãos gêmeos alienígenas (do desenho animado “Superamigos”) que podem “ativar” ou “desativar” seus poderes quando juntam as mãos.

Politically incorrect tarot

In theory, the tarot is a personal oracle. But after your consultation, that curiosity hits: who will win the election?

In theory, the tarot is a personal oracle. But after your consultation, that curiosity hits: who will win the election?

In September 2014, when Dilma Rousseff* ran for her second presidential term, a client asked to see if she would win the election. I was a little uncomfortable, and replied that I had never used the cards for this kind of question. But she insisted, and I opened the spread. It showed that Dilma was losing badly, but that, at the very end, she would take a 180 degrees turn and win. And that’s exactly what happened. Dilma was elected president.medieval-scapini-deck-the-empress

In October 2016, another client in New York, after her consultation (yes, tarot works through Skype!), worried about the American elections, asked to see if Hillary would be elected. She, a declared liberal, was thrilled when the answer was a beautiful YES. She decided to poke the tarot further, and asked, “Now check Trump”. The result was very positive as well, and I, confused, could never imagine that the two of them could really win the election, I tried to interpret what, in my mind, was absurd: “It’s very good for Trump too. I can only imagine that, since he works with entertainment and reality shows, he will take some advantage of the presidential race and promote himself, make good money,… uhh… I don’t know …”.

And what do we learn from these two situations?

First, regarding the US, the mistake was the inaccuracy of the question, which should have been, “Will Hillary be the next president?” or, “Will Trump be the next president?” This way, even if Hillary won the popular vote, and Trump, the Electoral College, the tarot could give the precise answer. Open-ended questions lead to inaccurate answers.

But, what about Dilma’s case, that the question was accurate?medieval-scapini-deck-the-emperor

Knowing the near future doesn’t mean having the key to it all. Dilma was re-elected at the end of October 2014, but about a year and a half later, at the end of August 2016, the Senate approved her impeachment.

Conclusion: don’t try to find out everything that will happen. The tarot gives you a hint. But when the future is concealed and you’re not allowed to know what really is going to happen, it doesn’t matter the answer, because in a second, everything can change.

But then you insist: What will happen to this Trump term?

Only God knows!

* Brazilian President

Tarô politicamente incorreto

Teoricamente, o tarô é um oráculo pessoal. Mas depois da sua consulta, bate aquela curiosidade: quem vai ganhar as eleições?

Teoricamente, o tarô é um oráculo pessoal. Mas depois da sua consulta, bate aquela curiosidade: quem vai ganhar as eleições?

Em setembro de 2014, quando Dilma Rousseff concorria para seu segundo mandato presidencial, uma cliente pediu para ver se ela ganharia as eleições. Fiquei meio sem graça, disse que nunca tinha usado o tarô para este tipo de pergunta, mas ela insistiu e abri o jogo. Mostrava que Dilma estava perdendo feio, mas que, bem no finalzinho, dava uma reviravolta e ganhava. Dito e feito. Dilma foi eleita presidente.medieval-scapini-deck-the-empress

Em outubro de 2016, outra cliente, em Nova Iorque, depois de sua consulta (sim, tarô funciona por Skype!), preocupada com as eleições americanas, pediu para ver se a Hillary seria eleita. Ela, uma democrata de carteirinha, ficou super feliz quando a resposta foi um belo SIM. Resolveu cutucar o tarô ainda mais, e pediu: “Agora checa o Trump.”

O resultado foi super positivo, e eu, confusa, jamais imaginando que realmente os dois poderiam ganhar as eleições, tentei interpretar o que para mim era um certo absurdo “Está muito bom para o Trump também. Só consigo imaginar que, como ele trabalha com entretenimento e reality shows, vai tirar alguma vantagem da corrida presidencial e se promover, ganhar um bom dinheiro, sei lá…”

E o que aprendemos com estas duas situações?

Primeiro, quanto aos EUA, o erro foi a falta de precisão da pergunta, que deveria ter sido: “A Hillary será a próxima presidente?”, ou: “O Trump será o próximo presidente?”. Desta forma, mesmo com a Hillary ganhando o voto popular e o Trump ganhando pelo Colégio Eleitoral, o tarô poderia dar a resposta certa. Perguntas abertas levam a respostas imprecisas.

Mas, e no caso da Dilma, que a pergunta foi precisa?

Nem sempre saber o futuro próximo significa ter a chave de todo futuro. Dilma foi reeleita no final de Outubro de 2014, mas, em um pouco mais de um ano e meio, no final de Agosto de 2016, o Senado aprovou seu impeachment.

medieval-scapini-deck-the-emperorResumindo: não adianta querer ter a chave de tudo. O tarô dá uma luz. Mas quando o futuro é oculto e você não tem permissão para saber o que realmente vai acontecer, não importa a resposta, pois num instante tudo pode mudar.

E então você insiste: o que vai acontecer com esse governo do Trump?

O futuro a Deus pertence!

Good old tarot – new times … old solutions

The first time I went to a fortune teller, I was sixteen. The lady lived in a beautiful large apartment in Copacabana. She wore a turban, a light colored long skirt and a shirt with a few shiny sequins … kind of gypsy fashion. She ushered me to a tiny room with a small round table and two chairs. In the middle, there was a glass of water and two tarot decks.

The first time I went to a fortune teller, I was sixteen. The lady lived in a beautiful large apartment in Copacabana. She wore a turban, a light colored long skirt and a shirt with a few shiny sequins … kind of gypsy fashion. She ushered me to a tiny room with a small round table and two chairs. In the middle, there was a glass of water and two tarot decks.

Very polite, she invited me to sit on the other side of the table, and asked me, “So, dear, who referred me to you?” I don’t recall now who it was, but I gave her the name, and, a little scared, waited to see what she was going to do next. She shuffled some huge cards with various symbols (that I had no idea what they meant; I only noticed some Hebrew letters because I’m Jewish and had studied the alphabet in school). She opened the spread and saw a key. She then asked if my parents were buying a new house- I said no. She described a white house that would bring many joys for many years to come. So far then, for me, that meant nothing.

I was at the height of my anxiety: my last high school year, meaning total pressure to be accepted at a University. I had the hope that, by some sort of magic, she would tell me everything that I wanted to hear: that I was going to be accepted at my number one choice school and that I would get a boyfriend. But instead, she said that I was NOT going to get a boyfriend until I graduated (in high school, but I was scared to death that it was only after my college graduation). She completed saying that if I didn’t sit down and study hard, I would not be accepted anywhere. Her main advice was to cut off all the distractions and focus. Only if I did that, I would get into college. After an hour with her, I left the place a little dizzy and disappointed. I still had a lot of homework to do to make my golden future come true.

tarologa-image

I returned home and told my mother that I had been to a card reader. “I do not like you going to these things!” she said, and continued, “I’m a little afraid of it. What did she say?”. “That you are buying a new house which will bring very good times. What new house is that?” I said. “Honnnnn, come listen to this!” she shouted to my father. And that’s how I found out that they had just bought land in Buzios, with two more couples, and that they were planning to build a condominium and then sell the houses.

Thirty years later, I look back and remember: that year, I studied my ass off. I went to my chosen college. The condo was built, and each couple managed to keep one house, after selling the others. I got a boyfriend right after I started college … and the house was properly used. And then, at various points in my life, I consulted tarot card readers, astrologers, and other types of unconventional therapists to help me make decisions. I confess I even got a little addicted to these things! And I decided to study tarot and develop my spiritual side.

Today, as a tarot reader, I clearly realize that the tarot is a powerful oracle, that can help people at various stages of life, especially when we are drowned in doubts, anxiety and pressure. Few are those who come to consult a tarot reader because they won the lottery, married a prince and lived happily ever after.

Because an oracle guides us in those moments, when we cannot focus and listen to our own intuition to know the best way to go. It can then be a wonderful resource. But never a tool to predict your entire future, to plaster your free will. Here and there the cards can give you a hint, but they will also tell you to do your own homework. The tarot will always allow you to change your life. And in this world of tremors, terror and trumps, nothing like a “good o’l tarot” to take a little bit off the uncertainty of life.

O velho e bom tarô – novos tempos… antigas soluções

A primeira vez que fui numa cartomante, tinha dezesseis anos. A senhora morava num apartamento grande e bonito em Copacabana. Vestia um turbante na cabeça, um saião claro, e uma camisa com uns brilhinhos… a la cigana fashion.

A primeira vez que fui numa cartomante, tinha dezesseis anos. A senhora morava num apartamento grande e bonito em Copacabana. Vestia um turbante na cabeça, um saião claro, e uma camisa com uns brilhinhos… a la cigana fashion. Me atendeu num quartinho que tinha uma pequena mesa redonda no meio, com duas cadeiras. No meio da mesa ficava um copo d’água, e ao lado, dois baralhos de tarô.

Muito educada, ela me convidou para entrar, sentou do outro lado da mesa, e me perguntou: “Então, querida, quem te indicou?”. Nem lembro mais quem foi, mas dei a referência, e, meio apavorada, fiquei esperando para ver o que ela ia fazer. Embaralhou umas cartas enormes com vários símbolos (que eu não entendia nada, só percebi umas letras em hebraico porque sou judia e estudei o alfabeto no colégio), abriu o jogo e viu uma chave. Perguntou se meus pais estavam comprando uma casa nova. Eu disse que não. Ela descreveu uma casa branca, que traria muitas alegrias por muitos anos. Até aí, para mim, nada.

Eu estava no auge da minha ansiedade: início de ano de vestibular, pressão total para passar, e a esperança de que, por um passe de mágica ela me dissesse tudo que eu queria ouvir: que ia passar para a faculdade escolhida e que ia arrumar um namorado. Mas em vez disso, falou que não ia arrumar namorado nenhum até me formar (no colégio, mas fiquei morrendo de medo que só fosse depois de formada na faculdade) e que se eu não sentasse e me matasse de estudar, não passaria. Mandou eu cortar todas as distrações e focar, que só assim eu conseguiria entrar na faculdade. Depois de uma hora, saí da consulta meio atordoada e decepcionada. Eu tinha muito dever de casa a fazer para que meu futuro dourado se realizasse.

tarologa-imageCheguei em casa e contei para minha mãe que tinha ido numa cartomante. “Não gosto de você metida nessas coisas!”ela disse, e continuou, “Tenho um certo medo. O quê que ela disse?”. “Que vocês estão comprando uma casa nova que vai trazer momentos muito bons. Que casa nova é essa?”, eu disse. “Zééééé, vem ouvir essa!”gritou ela para o meu pai. E foi assim que fiquei sabendo que eles tinham acabado de comprar um terreno em Búzios, com mais dois casais de amigos, e que estavam planejando construir um condomínio para depois vender as casas.

Trinta anos depois, olho para trás e lembro: naquele ano, estudei que nem uma condenada. Passei para a faculdade escolhida. O condomínio ficou pronto, e cada casal conseguiu ficar com uma casinha, depois de vender as outras. Arrumei o namorado depois que comecei a faculdade…e a casa foi devidamente usada. E depois, em várias fases da minha vida, consultei tarólogos, astrólogos e outros tipos de terapeutas não convencionais para me ajudar a tomar decisões. Confesso que até fiquei meio viciada nisso! E resolvi estudar tarô e desenvolver meu lado espiritual.

Hoje, como taróloga, percebo claramente que o tarô é um oráculo poderoso, que pode ajudar as pessoas em várias fases da vida, principalmente quando estamos atordoados em dúvidas, ansiedade e pressão. Poucos são aqueles que vêm consultar taróloga porque ganharam na loteria, casaram-se com um Príncipe e vivem felizes para sempre.

Porque um oráculo nos orienta nesses momentos, quando não conseguimos nos centrar e ouvir nossa própria intuição para saber qual o melhor caminho. Então esse pode ser um recurso maravilhoso. Mas nunca uma ferramenta para predizer todo seu futuro, engessar seu livre arbítrio. Aqui e ali ele pode te dar uma colinha, mas sempre vai te mandar fazer o dever de casa. E sempre vai deixar espaço para você mudar sua vida . E nesse mundo de trumps, teoris e terremotos, nada como um velho e bom tarô para tirar um pouquinho da incerteza da vida.