Tarô sem trauma

Tem gente que pensa que vida de taróloga é assim: de cinco em cinco minutos checando o tarô para confirmar pequenas coisas, ver o que vai acontecer, ou até mesmo substituir mãe no quesito “vai fazer frio? saio de casaco hoje?”. Housewives_Tarot_8Isto porque mãe já sai falando para levar o casaco, mesmo num verão insuportável (como o novo vagão do metrô hoje em dia parece mais um frigorífico, tenho que concordar que casaco é sempre uma boa).

Mas voltando ao assunto tarô e futilidades. Por incrível que pareça, várias pessoas próximas pedem para ler pequenas coisas (porque obviamente já fizeram uma Mandala completa), mas eu – e algumas tarólogas que conheço – quase nunca consultamos o tarô para si mesmas. Mais fácil se consultar com uma colega e ter uma previsão decente, do que abrir um jogo e interpretar loucamente o tarô de acordo com o que quero que aconteça.

Teve uma época que estava estudando para concursos públicos, e lá ia eu: “Vou passar nesta prova?”. Sempre dava uma resposta positiva. A essa altura do campeonato, pelo meu tarô eu já poderia estar assessorando o presidente. Mas isso quer dizer que não funciona? Claro que não! Quer dizer que quando você está emocionalmente ligado ao problema, melhor pedir para outro profissional responder sua pergunta. Como no caso de um cirurgião que não opera o próprio filho, mas pede a um outro colega muito bom para fazer a tal cirurgia.housewives-queen-of-wands.jpg

E você me pergunta: então você NUNCA checa nada com seu tarô? Sim, mas raramente. E é aí que começa nossa estória de hoje… Como meu blog é ainda um bebê de três meses, saio por aí fazendo uma certa propaganda com conhecidos e desconhecidos. E foi numa dessas que me deparei com uma querida profissional da área da saúde que me perguntou “Então você é taróloga? Minha mãe também tira tarô.”

Eu respondi: “Ah, é, que legal! Você deve perguntar tudo pra ela, né?” E veio a resposta… “Não! Nunca tirei tarô com ninguém. Você acredita que quando eu era garota e namorava, uma vez cheguei bem tarde em casa, para dar de cara com a minha mãe, bem brava, com o tarô na mão.

housewives-03043A mãe já estava sentada em frente à mesa da cozinha, esperando ela chegar. Quando ela pisou em casa, a mãe já estava embaralhando o tarô e num tom seco, só falou: “Senta aqui agora, e tira três cartas!”. A coitada sentou, puxou três cartas do baralho. A mãe fez o jogo, olhou com a cara bem feia e por fim disse: “Era só isso que eu queria saber!”. E passou dias sem falar com ela!

Eu perguntei se ela tinha mesmo aprontado, e com um sorriso alegre respondeu: “Claro que sim!”. Enfim, pensei que ela estava muito traumatizada, mas adorou a ideia de eu tirar uma mandala pra ela.

Tirei mais do que o jogo de mandala. Tirei um trauma!

The Stars of Lala Land

Gallery

During this last Oscar season everyone was talking about LaLa Land, a musical in which boy meets girl and dance in the stars. For those who don’t know, that date took place at the famous Griffith Observatory – the planetarium and one of the most charming places in Los Angeles, where you can have a spectacular view of city and its lights. Continue reading