Beleza & Paciência

Quando alguém te conta que está passando por uma fase muito dura e confessa que já pensou em se matar…Infelizmente mais de uma pessoa me fez esse comentário nos últimos tempos. Uma estava numa situação totalmente controlável e reversível. Outra, o inverso, não podia fazer nada sobre o assunto.

Pegando carona no assunto da semana passada sobre as formas de abordagem e a responsabilidade que terapeutas alternativos devem ter em falar com as pessoas sobre suas vidas, uma amiga leu o artigo e contou a seguinte estória:

“Uma vez eu estava tentando marcar, pelo telefone, um horário com uma astróloga e ela me perguntou:

– “Qual o seu signo e seu ascendente?”

– “Capricórnio com ascendente em Peixes.”

– “Tendência suicida!” ela disse, na lata!

“Bom, se tivesse acertado, dali mesmo me jogava pela janela! Ainda bem que ela errou.”.

10 wands

Obviamente morri de rir com essa, mas o assunto suicídio é MUITO sério. E fica mais sério ainda quando alguém te conta que está passando por uma fase muito dura e confessa que já pensou em se matar. Infelizmente mais de uma pessoa me fez esse comentário nos últimos tempos. Uma estava numa situação totalmente controlável e reversível. Outra, o inverso, não podia fazer nada sobre o assunto.

Esse tipo de vontade de se matar de que estou falando não é problema de desequilíbrio de serotonina ou alguma função do cérebro que pode ser controlada por remédios somente. Remédios são úteis sim, mas a vida faz a gente tomar tombos inesperados, então nem sempre remédio é a única solução. Pode ajudar um pouco, mas como o problema não é físico, no final o negócio é encarar a situação de frente. Mas de onde pegar forças para isso?

Pois eu não tenho dúvidas de que Deus está acima de tudo e de todos. Lembrar que Deus ajuda já é um grande passo. O próximo passo é PEDIR essa ajuda. Tanto é, que a própria filosofia dos “12 passos” (usada para os Alcoólatras Anônimos e outros grupos que cuidam de vícios afins) tem como prioridade entender que não dá para a pessoa resolver tudo sozinha e que ela deve ter apoio terapêutico + de família e amigos + pedir ajuda para Deus e rezar.

strenghtLimpezas espirituais também ajudam a aliviar a sensação de angústia que se sente, até mesmo fisicamente. O mundo espiritual está sempre pronto para te dar forças para enfrentar seu problema.

Resumindo, se seu problema tem solução, busque a solução. Às vezes é uma questão de dar um ponto final ao sofrimento, marcar uma data limite para tomar uma decisão e agir. Outras vezes, quando não tem como resolver a situação, a única coisa que resta é a aceitação. Batendo na mesma tecla, tanto para um caso como para o outro, tem que rezar e pedir ajuda de Deus e das pessoas. Tem que falar sobre o problema, conversar, desabafar, tirar esse peso de dentro. Como disse no último artigo, porque esse é seu inverno. Aguenta mais um pouquinho e acredite que sua primavera vai chegar, e aí você vai olhar para trás aliviado.

Como diz uma amiga figura:

“A vida é feita de 2 palavras: beleza e paciência.

Tá tudo bem: beleza!

Não está: paciência…”

Tarô, saúde e higiene

No último fim de semana, tive o prazer de ir a São Paulo para fazer um curso sobre tarô ligado à saúde e terapias. Na verdade, uma técnica na qual a própria mandala do tarô consegue identificar se a pessoa está com algum problema de saúde. Enfim, um curso sobre doenças.

No último fim de semana, tive o prazer de ir a São Paulo para fazer um curso sobre tarô ligado à saúde e terapias. Na verdade, uma técnica na qual a própria mandala do tarô consegue identificar se a pessoa está com algum problema de saúde. Enfim, um curso sobre doenças.Death

Interessante ver o grau de detalhes que o tarô pode dar. Por exemplo, pode identificar problemas no sistema endócrino, exatamente na glândula da tireóide, ou nos ossos, especificamente coluna cervical. Mas neste caso, é uma técnica precisa, que segue regras. Há graus de evolução de doenças, alertas para exames de check-up em uma certa área do corpo. Bem preciso. Mas como tarólogo não é médico e nem tem a audácia de se aventurar nisso, o ponto é dar um toque no cliente se o jogo mostrar alguma coisa esquisita e sugerir (ou até mesmo implorar) para que o consulente vá procurar um médico. Investigar a saúde é uma cereja no bolo da consulta.

Como a vida não é só feita de estudos e trabalho, aproveitei minha estada para ver amigos e parentes, além de curtir o lado cultural paulistano. Desta vez, me hospedei na casa de uns amigos de longa data, quase família. O marido da minha amiga, um executivo que volta e meia viaja pelo mundo, numa de suas viagens de Gulliver teve o prazer de conhecer o Japão. E voltou maravilhado, contando as novidades, como o caso da privada high-tech japonesa.

O que é essa privada high-tech? Ele nos explicou que você senta num tampo aquecido, faz o que deve ser feito, e no final, tem um painel na parede no qual você escolhe como se limpar: água morninha na frente ou atrás? Qual a intensidade do jato de água? E o ventinho no final para secar: tipo brisa ou furacão? Obviamente esse assunto rendeu muitas risadas, porque não conseguimos entender de jeito nenhum como é calculado o ângulo do jato, como isso não ocasiona um tsunami no banheiro, e mil outras perguntas técnicas, até mesmo uma questão estratégica sobre o novo papel do papel higiênico no Oriente.toilet

E o que que isso tem a ver com São Paulo? Ahh!!! Eu, minha amiga e seu filho fomos visitar uma nova atração que a famosa Avenida Paulista ganhou: a “Japan House” – um projeto global do governo japonês que funciona como um moderno centro cultural, promovendo a cultura japonesa. A visita foi maravilhosa: o prédio em si é um projeto arquitetônico lindo, havia exposição sobre a arte em bambu e ainda almoçamos no restaurante japonês e comemos uma típica receita japonesa (que não é sushi nem sashimi…é mais o arroz e feijão dos japoneses… leve e saudável).

E para coroar, no final da nossa visita, minha amiga disse que ia ao banheiro. Voltou com um sorrisão e um brilho nos olhos, e disse: “Rô! Você não vai acreditar o que tem lá dentro!”. E eu rapidamente entendi: “Sério? Não acredito! Fica aqui com a minha bolsa que agora é a minha vez!”. Que espetáculo! Tudo que o maridão dela disse era verdade. Podia ficar a tarde toda lá curtindo aquele acervo permanente, aquele spa inusitado.

Como diria meu primo poeta: a higiene japonesa “eclipsou” a saúde do tarô!