O que realmente importa

O livre arbítrio pode acabar sendo uma faca de dois gumes. Por quê? Porque ter várias opções pode ser confuso.

tarodaro_ 4 of cupsO livre arbítrio pode acabar sendo uma faca de dois gumes. Por quê? Porque ter várias opções pode ser confuso. Ofertas de trabalho, pretendentes, apartamentos para morar, tratamentos de saúde diferentes… Quando mais de uma alternativa aparece, é claro que você pode perguntar para o tarô qual a melhor escolha, mas é preciso que você também faça sua pesquisa, a listinha das vantagens e desvantagens de uma decisão. Isso é o que dá mais trabalho, porque depende do quanto você se conhece a fundo para saber o que realmente vai te fazer feliz. A responsabilidade é sua.

Um bom exemplo é a procura de um novo lugar para morar. As pessoas querem ter certeza de que vai dar certo, porque uma mudança dá muito trabalho e você não quer descobrir depois que não fez a escolha certa.

tarodaro_ 7 of cupsUma cliente ligou e perguntou se deveria se mudar. Surgiu uma oportunidade de morar em frente a sua irmã. As duas se davam muitíssimo bem, se adoravam. A irmã era casada com filhos pequenos e já vivia na área há muito tempo. A cliente tinha uma bebê, queria ter mais filhos e seu marido às vezes viajava, e ela ficava um pouco isolada porque sua casa estava afastada. O aluguel no novo lugar era um pouco mais caro.

Quando me contou todos esses detalhes, eu disse que não havia necessidade dela perguntar nada ao tarô. Tinha que falar direto com seu marido para saber se ele se incomodava em dirigir para o trabalho daquele novo lugar e se poderiam pagar um pouco mais pelo aluguel. Ela queria ter mais filhos – o apoio da família seria importante e a qualidade de vida no novo lugar, bem melhor.

Agora, depois de meses da mudança, ela está muito mais feliz e confessou que o custo do aluguel, comparado ao outro apartamento, acabou sendo igual, porque o novo apartamento oferece várias amenidades que no outro tinham que pagar por fora. A bebê tem contato constante com os primos e ela e a irmã fazem várias atividades juntas.

Outra cliente, naquela fase chata de ter que visitar vários apartamentos para achar um que gosta (e só encontrar um monte de lixo), disse que visitou um que finalmente amou. Era exatamente o que desejava. E quis consultar o tarô. Eu disse: “mas se é o que você quer, para que vai perguntar para o tarô?”. “Só para ter certeza.”

O tarô disse que alguma coisa não estava clara, que depois ela ficaria frustrada com a escolha. “Mas alguma coisa o quê?” perguntou, e pediu para tirar as cartas de novo. Novamente o tarô disse que a negociação lhe traria alguma desvantagem, como se ela não soubesse de algo antes e que depois descobriria… tipo infiltração, barulho insuportável na rua, vizinhos com problemas…

tarodaro_ 3 of wands“Dá para perguntar exatamente para o tarô o que é, se é barulho? Nem me importo com barulho.” “Não, você investigar, ir perguntar para o porteiro algumas coisas, tentar falar com alguém que mora no prédio e chamar uma pessoa de confiança para ver o apê com você para te ajudar a analisar”… o famoso “dever de casa”. Agora ela está frustrada porque queria que o tarô respondesse que tudo ia ser maravilhoso e ficou com a pulga atrás da orelha.

Conselho: use o tarô e afins para te ajudar, mas saiba que existem situações nas quais o bom senso vale mais. Faça sua pesquisa, pense com calma e reze para ter clareza.

Só você mesmo sabe o que realmente importa para te fazer feliz.