Quase Hogwarts

Quase é como eu gostaria de pensar… falta muito para minhas aulas de tarô virarem uma formação e graduação em magia como no Harry Potter. Eu amaria estar naquele lugar. Mas como aprendi a tirar tarô?The magician

Na minha família, temos uma tradição esotérica, que o segredo das cartas é passado de geração em geração. Minha avó era uma cartomante francesa famosa… Acho que não! Já contei para vocês, no primeiro artigo do blog, que minha mãe ficou meio apavorada quando, aos 16 anos, falei que tinha ido numa cartomante. E que depois, já conheci várias tarólogas, cada uma com um estilo diferente, e que sempre adorei esses assuntos esotéricos.

E por amar tanto isso, um belo dia, anos atrás, estava procurando alguma atividade para fazer de hobby, e achei umas aulas de tarô. Pensei: “Hmm, deve ser bem divertido.” Foi assim que fui parar numa sala, no fundo de uma grande loja de artigos e livros esotéricos, com mais umas vinte pessoas, esperando começar minha primeira aula.

O professor chegou, super simpático e carismático, e se apresentou. Um fofo. Depois pediu que cada um falasse um pouco de si, de alguma experiência sensitiva. Um homem disse que um dia, tocou num bilhete de sorteio que ia comprar, e o bilhete de papel esquentou na sua mão, quase queimando seus dedos. Ele teve certeza de que iria ganhar com aquele bilhete. E ganhou. Uma mulher disse que tinha premonições. Outra, que já jogava cartas ciganas. Alguns estavam lá só de curiosidade. Uma moça disse que conseguia conversar com bichos (eu também falo com meu Shitzu o dia todo, mas ela ouve e entende o que eles falam… mesmo! tipo o Eddie Murphy, em “Dr. Dolittle”). Achei incrível que naquela sala estavam reunidas tantas pessoas com esse tipo de experiência.

Toda semana voltávamos animados, para mais uma aula. Chegamos ao ponto em que fazíamos a parte prática, de pequenos jogos de interpretação do tarô, às vezes em duplas, às vezes uma pessoa tinha uma pergunta e todos davam palpite no jogo.

Na última aula, um dos alunos perguntou ao tarô: “Será que vamos continuar nos vendo como amigos depois que essa aula terminar?”. A resposta do tarô foi bem direta: “Depende de vocês.” A partir daí, ele mesmo tomou a iniciativa de coletar nomes, telefones e emails e organizar encontros semanais sempre na casa de alguém.

Treinávamos os jogos, discutíamos assuntos esotéricos e sempre tinha um “convidado especial” que participava do nosso encontro para que tirássemos as cartas e ajudássemos a pessoa com o tarô respondendo sobre algum problema.

8 of pentaclesA cada encontro também compartilhávamos dúvidas, problemas, confidências dos nossos mundinhos reais, que naquele ambiente eram expostas com segurança, como que para um grupo de terapeutas. E disso resultaram bons amigos. Mantivemos contato até hoje. Volta e meia faço outros cursos, com técnicas especiais de leitura de tarô, e conheço outras pessoas interessantes.4 wands

E agora que você já sabe como tudo começou para mim, em relação ao tarô, pergunto para você: o que te encanta? o que você sempre quis aprender e nunca começou? Aula de culinária para cachorros? Canto dos golfinhos? Pintura de tetos? Como criar videogames que gastem calorias?

Então, vai lá, dá uma pesquisada e ache alguma coisa que te faça feliz. Comece o curso o mais rápido possível. Faça novos amigos. Sua tribo. E quem sabe, daqui a algum tempo você também vai estar contando sobre seu “Quase Troigros”, “Quase Picasso”, “Quase Isadora Duncan”.

One thought on “Quase Hogwarts

  1. Love your blogs. Also, I’m finding my Portuguese is improving I can actually read and understand some of it.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s