Trauma-free tarot

And it was during one of these encounters that I came across a dear health professional that asked me, “So you’re a tarot reader? My mother also reads tarot cards.”

Some people think that tarot readers check their cards all the time to know every single thing in life, even to replace the weather guy and ask if should/ should not take a coat when leaving home. Housewives_Tarot_8That’s because in these climate change days the weather report may not be enough… a little help from the cards can increase the forecast accuracy. It never hurts caring a jacket though, since air conditioning can freeze your bones too.

But back to the subject tarot and its futilities… Can you believe that a number of close friends ask me to check over the simplest things (because they’ve obviously had already done a complete Mandala reading), while I – and some other readers I know – hardly ever consult the tarot? The reason being is that it’s better to have a colleague read the cards for me and give me a decent prediction, than having me open my own tarot spread only to manipulate my own future according to what I want to happen.

There was a time when I was studying to get a public sector job (with the Brazilian Government- which is almost as hard as passing a Bar Exam) that I would constantly consult with the tarot: “Am I going to pass this exam and get the job?” The answer was always yes. If it was that easy to read it for myself, according to those answers, by now I could be advising the President! Does that mean that tarot cards are a waste of time? Of course not! It only means that when you are emotionally attached to the problem, you’d better ask another reader to answer your question. It’s like a surgeon who does not operate his own son, but asks another very good doctor to operate him.

And then you ask me: so you NEVER check anything with your cards? Yes, but rarely. And that’s where our story begins… Since my blog is still a 3-month-old baby, I go around doing some advertising with people who I know (and who I don’t too). And it was during one of these encounters that I came across a dear health professional that asked me, “So you’re a tarot reader? My mother also reads tarot cards.”

housewives-queen-of-wands“Oh, that’s so cool”, I replied, “you probably ask her everything, right?” She quickly answered: “No! And I’ve never had anyone read it or me. Can you believe that when I was a teenager, one day I arrived home late at night, only to see my mom waiting for me, very angry, holding her tarot deck?

Her mother was sitting at the kitchen table, waiting for her to arrive. When she stepped into the house, the mother was already shuffling the cards and, in a dry tone, demanded: “Sit here! Now! Pick three cards!” The poor girl sat down, drew the cards from the deck. The mother read the spread, looked at her with a very nasty face and finally said: “That’s all I wanted to know!” And spent days without talking to her!

housewives-03043

I asked her if she had really done something “wrong”. She replied, with a cheerful smile: “Of course!” Anyway, I thought she hated tarot cards, but she actually loved the idea of me reading for her.

More than a reading, I freed her from a tarot trauma!

Tarô sem trauma

E foi numa dessas que me deparei com uma querida profissional da área da saúde que me perguntou “Então você é taróloga? Minha mãe também tira tarô.”

Tem gente que pensa que vida de taróloga é assim: de cinco em cinco minutos checando o tarô para confirmar pequenas coisas, ver o que vai acontecer, ou até mesmo substituir mãe no quesito “vai fazer frio? saio de casaco hoje?”. Housewives_Tarot_8Isto porque mãe já sai falando para levar o casaco, mesmo num verão insuportável (como o novo vagão do metrô hoje em dia parece mais um frigorífico, tenho que concordar que casaco é sempre uma boa).

Mas voltando ao assunto tarô e futilidades. Por incrível que pareça, várias pessoas próximas pedem para ler pequenas coisas (porque obviamente já fizeram uma Mandala completa), mas eu – e algumas tarólogas que conheço – quase nunca consultamos o tarô para si mesmas. Mais fácil se consultar com uma colega e ter uma previsão decente, do que abrir um jogo e interpretar loucamente o tarô de acordo com o que quero que aconteça.

Teve uma época que estava estudando para concursos públicos, e lá ia eu: “Vou passar nesta prova?”. Sempre dava uma resposta positiva. A essa altura do campeonato, pelo meu tarô eu já poderia estar assessorando o presidente. Mas isso quer dizer que não funciona? Claro que não! Quer dizer que quando você está emocionalmente ligado ao problema, melhor pedir para outro profissional responder sua pergunta. Como no caso de um cirurgião que não opera o próprio filho, mas pede a um outro colega muito bom para fazer a tal cirurgia.housewives-queen-of-wands.jpg

E você me pergunta: então você NUNCA checa nada com seu tarô? Sim, mas raramente. E é aí que começa nossa estória de hoje… Como meu blog é ainda um bebê de três meses, saio por aí fazendo uma certa propaganda com conhecidos e desconhecidos. E foi numa dessas que me deparei com uma querida profissional da área da saúde que me perguntou “Então você é taróloga? Minha mãe também tira tarô.”

Eu respondi: “Ah, é, que legal! Você deve perguntar tudo pra ela, né?” E veio a resposta… “Não! Nunca tirei tarô com ninguém. Você acredita que quando eu era garota e namorava, uma vez cheguei bem tarde em casa, para dar de cara com a minha mãe, bem brava, com o tarô na mão.

housewives-03043A mãe já estava sentada em frente à mesa da cozinha, esperando ela chegar. Quando ela pisou em casa, a mãe já estava embaralhando o tarô e num tom seco, só falou: “Senta aqui agora, e tira três cartas!”. A coitada sentou, puxou três cartas do baralho. A mãe fez o jogo, olhou com a cara bem feia e por fim disse: “Era só isso que eu queria saber!”. E passou dias sem falar com ela!

Eu perguntei se ela tinha mesmo aprontado, e com um sorriso alegre respondeu: “Claro que sim!”. Enfim, pensei que ela estava muito traumatizada, mas adorou a ideia de eu tirar uma mandala pra ela.

Tirei mais do que o jogo de mandala. Tirei um trauma!

Domestic Impeachment

Lately, some leaders (from countries that we all know) are facing rumors of an eventual ejection from power. This is something we can’t ignore at all. Likewise, let’s talk about when YOU ask the tarot if it’s the right time for a “domestic impeachment”… better known as a divorce.

Lately, some leaders (from countries that we all know) are facing rumors of an eventual ejection from power. This is something we can’t ignore at all. Likewise, let’s talk about when YOU ask the tarot if it’s the right time for a “domestic impeachment”… better known as a divorce.morte

As I mentioned earlier, the tarot analyzes your current life and future trends. You can ask it if certain choices are best suited to a particular moment and get a very direct orientation. However, the tarot can also show a different option that you haven’t imagined before.

At a certain stage, you may have opportunities to find love. Other times, your love life can lead to commitment and finally to marriage. But once you get married and live with someone, a lot of things may change: mostly you and the other person. And a tarot spread can show you if the time is right to rock your boat.Klimt Lovers

It turns out that instead of rushing to call it quits, sometimes it’s more important to get financially fit first. You keep married; invest in your career and save money. This leads to a more structured situation that will allow you to choose if you still want a divorce. Just the fact that you’ve invested in your career and made some money can already improve your self-esteem. You’ll become more confident to make a crystal clear decision if it’s still worth it to “break the chains of love”. Maybe now you’re more upbeat, you have more fun. You’re no longer a burden to your partner because now there is another source of income. This creates less conflict, less pressure and you may restore your relationship.

In some other stage of life, you’ll definitely get a divorce, however, not as fast as you want, maybe a year later (for example). “Heaven” makes you wait to mature and learn something in the process. Once you divorce, you may even find a new love very quickly. But having to wait is always hard when you’ve lost all emotional ties and still have to live under the same roof for a while. In this case, it would be best to try to learn from this period. Somehow you’ll find out that the wait brought you insights that you didn’t have before. And when it’s time to really move forward and sign the divorce papers (or just leave the house), you can look back and understand why life made you wait.Three Gustav Klimt

A totally different matter is when you want to get a divorce because you believe that you’re being cheated on. You ask the tarot, “Is he /she cheating on me?”. Looking at your situation, the tarot just replies: “How is your relationship with yourself?” and advises you that instead of thinking of betrayal and divorce, you should focus on yourself. You think, “What does this mean?”poderosa

This means that the greatest betrayal is not liking yourself, not trusting yourself and not respecting your own needs – when the divorce between who you really are and how you’re living you life has already happened. You’ve distanced yourself from your very essence and now you’re paying a very high price.

As you go back to listen to your own heart, your own intuition, maybe the world around you remains the same, but you won’t need to change anything because your perspective on things has changed. You’re happier inside. And that will change everything around you, naturally, for better.

Impeachment Caseiro

Como não poderia ignorar o que acontece hoje (em alguns países do mundo que conhecemos…) que enfrentam a possibilidade de seus presidentes tomarem um “rá-ré-rí-ró-rua!”, falemos um pouco de quando você pergunta ao tarô se é a hora de entrar com um processo de impeachment caseiro… mais conhecido como divórcio.

Como não poderia ignorar o que acontece hoje em alguns países do mundo que conhecemos, que enfrentam a possibilidade de seus presidentes tomarem um “rá-ré-rí-ró-rua!”, falemos um pouco de quando você pergunta ao tarô se é a hora de entrar com um processo de impeachment caseiro… mais conhecido como divórcio.morte

Como já mencionei anteriormente, o tarô analisa a fase da vida que você está passando e suas tendências. Você pode perguntar se suas escolhas e decisões serão acertadas para aquele determinado momento e ter uma orientação bem direta, ou o tarô pode mostrar um outro lado da moeda que você não está conseguindo ver.

Em certa fase da vida, pode ser que seu céu esteja aberto para novos amores. Em outro período, pode levar ao compromisso e finalmente a um casamento. Mas, uma vez que você casa e convive com o outro, muita coisa muda: você e o outro, principalmente. E parte da análise de um jogo de tarô vai te mostrar se o tempo é certo para balançar as estruturas de sua vida.

Klimt LoversAcontece que, muitas vezes, em vez de correr para a separação, é mais importante se estruturar financeiramente. Você continua casado(a), investe no seu trabalho, ganha dinheiro ou pelo menos começa a ter independência financeira para, só depois, entrar numa outra fase em que você poderá fazer a escolha de se divorciar. Só o fato de investir num trabalho e ganhar dinheiro pode levantar sua auto-estima, que estava faltando, e te trazer mais força, até mesmo para reavaliar sua situação e ver se ainda vale a pena quebrar seu “elo de amor”. Talvez você se anime, saia mais de casa, e, por agora ter uma fonte de renda, não seja mais um peso para o outro. Isso cria menos conflito, menos pressão, podendo resultar numa reaproximação.

Outras vezes, o tempo divino ainda está cozinhando sua idéia, que vai mesmo acontecer, só que, por exemplo, um ano depois. Talvez você se separe e emende em um novo amor. A espera é sempre difícil quando você já perdeu todo vínculo emocional, mas tem que continuar vivendo na mesma casa por um tempo. Neste caso, o melhor seria tentar entender qual o aprendizado da espera. De alguma forma, o tempo de maturação trará alguma clareza que você não tinha antes. E quando a hora de realmente pisar o pé no acelerador e assinar os papéis (ou somente separar os trapinhos), você poderá olhar para trás e entender o porquê que a vida te fez esperar.

Three Gustav Klimt

Um caso bem diferente acontece quando o motivo de uma separação é a desconfiança de uma traição. Você pergunta ao tarô: “Estou sendo traído(a)?”e, ao analisar o período que se aproxima, o tarô te pergunta: “como anda seu relacionamento com você mesmo?” e te responde que em vez de pensar em traição e separação, seu foco deve ser investir em você mesmo. Você pensa, “Como assim?”poderosa

“Assim porque” a maior traição é a de não gostar de si próprio, de não se respeitar, quando o divórcio acontece no casamento entre quem você realmente é e como está vivendo sua própria vida. Você se separou da sua própria essência e agora paga um preço muito alto por isso.

Ao voltar a escutar seu próprio coração, sua própria intuição, talvez o mundo ao seu redor continue o mesmo, mas você não vai precisar mudar nada porque seu olhar mudou. Você está mais feliz por dentro. E isso vai mudar tudo a sua volta, naturalmente, para melhor.

Almost Hogwarts

“Almost” is what I’d like to think … there’s a long way from my tarot classes to become Harry Potter’s British wizarding school. I would love to be in that place. But how did I learn to read tarot cards?

“Almost” is what I’d like to think … there’s a long way from my tarot classes to become Harry Potter’s British wizarding school. I would love to be in that place. But how did I learn to read tarot cards?The magician

My family has an esoteric tradition, passing the cards secret down from generation to generation. My grandmother was a famous French fortune-teller… I don’t think so! I already told you in this blog’s first article that my mother was a little spooked when I told her that I had been to a fortune teller (I was only 16). And that moving on, I’ve met several tarot readers, each with a different reading style, and that I’ve always loved these mystical subjects.

And for loving it so much, one fine day, years ago, I was looking for some activity to play as a hobby and I found some tarot lessons. I thought, “Hmm, that must be a lot of fun.” That’s how I ended up in a room at the back of a large mystic bookstore, with about twenty other people waiting for our first class to begin.

The teacher arrived and introduced himself… super nice and charismatic. A sweetheart. He then asked the students to speak a little about themselves and about any psychic experience they had in the past. One man said that once, he touched a raffle ticket that he wanted to buy, and the paper ticket instantly became really hot, almost burning his fingers. He was then certain that he would win with that ticket. And he did. One woman told us that she had premonitions. Another read Lenormand cards (“gypsy cards”). Some students just wanted to take the class out of curiosity. One girl said that she could talk to animals (I also talk to my Shitzu all day, but she listens and understands what they say… really! … like Eddie Murphy in “Dr. Dolittle”). I found it incredible that such classroom gathered so many people with different psychic experiences.

Every week we came back for another exciting class. We practiced reading short tarot spreads for each other. Sometimes in pairs, sometimes one person had a question and the whole class interpreted the reading together.

During the last class, one of the students asked the tarot: “Will we continue to see each other and be friends once this course is over?” The tarot‘s answer was very straightforward: “It’s up to you.” From then on, he took the initiative to collect names, phones, and emails, and to organize weekly meetings.

We practiced reading the spreads, discussed mystical matters and always had a “special guest” who participated in our meeting to have his/her cards read by the group. 8 of pentaclesAt each meeting we also shared our real world doubts and problems, safely exposed in that environment, just as if we were confiding to a group of therapists. Great friendships came out of this study group and we’re still in touch. Once in a while, I take other classes to learn special tarot techniques, and I end up meeting other interesting people.4 wands

Now that you know how it all started for me (regarding the tarot), I ask you: what do you love? What have you always wanted to learn and never started? Cooking classes for puppies? Tap dancing with the stars? Painting ceilings? How to create video games that burn calories?

So go ahead, research and find something that makes you happy! Begin these classes as soon as possible. Make new friends. People you feel good with. And who knows, maybe you’ll soon be telling us about your “Almost Cordon Bleu”, “Almost Picasso”, “Almost Broadway”.

Quase Hogwarts

Quase é como eu gostaria de pensar… falta muito para minhas aulas de tarô virarem uma formação e graduação em magia como no Harry Potter. Eu amaria estar naquele lugar. Mas como aprendi a tirar tarô?

Quase é como eu gostaria de pensar… falta muito para minhas aulas de tarô virarem uma formação e graduação em magia como no Harry Potter. Eu amaria estar naquele lugar. Mas como aprendi a tirar tarô?The magician

Na minha família, temos uma tradição esotérica, que o segredo das cartas é passado de geração em geração. Minha avó era uma cartomante francesa famosa… Acho que não! Já contei para vocês, no primeiro artigo do blog, que minha mãe ficou meio apavorada quando, aos 16 anos, falei que tinha ido numa cartomante. E que depois, já conheci várias tarólogas, cada uma com um estilo diferente, e que sempre adorei esses assuntos esotéricos.

E por amar tanto isso, um belo dia, anos atrás, estava procurando alguma atividade para fazer de hobby, e achei umas aulas de tarô. Pensei: “Hmm, deve ser bem divertido.” Foi assim que fui parar numa sala, no fundo de uma grande loja de artigos e livros esotéricos, com mais umas vinte pessoas, esperando começar minha primeira aula.

O professor chegou, super simpático e carismático, e se apresentou. Um fofo. Depois pediu que cada um falasse um pouco de si, de alguma experiência sensitiva. Um homem disse que um dia, tocou num bilhete de sorteio que ia comprar, e o bilhete de papel esquentou na sua mão, quase queimando seus dedos. Ele teve certeza de que iria ganhar com aquele bilhete. E ganhou. Uma mulher disse que tinha premonições. Outra, que já jogava cartas ciganas. Alguns estavam lá só de curiosidade. Uma moça disse que conseguia conversar com bichos (eu também falo com meu Shitzu o dia todo, mas ela ouve e entende o que eles falam… mesmo! tipo o Eddie Murphy, em “Dr. Dolittle”). Achei incrível que naquela sala estavam reunidas tantas pessoas com esse tipo de experiência.

Toda semana voltávamos animados, para mais uma aula. Chegamos ao ponto em que fazíamos a parte prática, de pequenos jogos de interpretação do tarô, às vezes em duplas, às vezes uma pessoa tinha uma pergunta e todos davam palpite no jogo.

Na última aula, um dos alunos perguntou ao tarô: “Será que vamos continuar nos vendo como amigos depois que essa aula terminar?”. A resposta do tarô foi bem direta: “Depende de vocês.” A partir daí, ele mesmo tomou a iniciativa de coletar nomes, telefones e emails e organizar encontros semanais sempre na casa de alguém.

Treinávamos os jogos, discutíamos assuntos esotéricos e sempre tinha um “convidado especial” que participava do nosso encontro para que tirássemos as cartas e ajudássemos a pessoa com o tarô respondendo sobre algum problema.

8 of pentaclesA cada encontro também compartilhávamos dúvidas, problemas, confidências dos nossos mundinhos reais, que naquele ambiente eram expostas com segurança, como que para um grupo de terapeutas. E disso resultaram bons amigos. Mantivemos contato até hoje. Volta e meia faço outros cursos, com técnicas especiais de leitura de tarô, e conheço outras pessoas interessantes.4 wands

E agora que você já sabe como tudo começou para mim, em relação ao tarô, pergunto para você: o que te encanta? o que você sempre quis aprender e nunca começou? Aula de culinária para cachorros? Canto dos golfinhos? Pintura de tetos? Como criar videogames que gastem calorias?

Então, vai lá, dá uma pesquisada e ache alguma coisa que te faça feliz. Comece o curso o mais rápido possível. Faça novos amigos. Sua tribo. E quem sabe, daqui a algum tempo você também vai estar contando sobre seu “Quase Troigros”, “Quase Picasso”, “Quase Isadora Duncan”.